Esteatose

Gordura no fígado. Você sabe o que é?

Esteatose hepática

A esteatose hepática ocorre devido ao acúmulo excessivo de lipídios (gordura) nos hepatócitos (células do fígado).
O fígado é invadido por uma quantidade excessiva de gordura e o tecido hepático saudável é parcialmente substituído por
áreas não-saudáveis de gordura. Nesses fígados, as células e os espaços do fígado são preenchidos por gordura, resultando em um fígado aumentado de volume e mais pesado.
O comparativo óbvio da situação humana é o famoso patê de frois grais (fígado de ganso) tão em discussão hoje em dia. Para obter o patê, gansos são submetidos a uma dieta (muitas vezes forçada por gavagem) extremamente rica em calorias o
que faz com que os fígados fiquem cheios de gordura.

Voltando ao caso humano, esse acúmulo de gordura pode ser decorrente de alterações do metabolismo ou uma resposta do fígado a uma agressão ao seu funcionamento.
Ou seja, ela pode ser um sinal de uma doença própria do fígado (como hepatite C,
doença alcoólica, etc) ou seu acúmulo, decorrente de doenças metabólicas (diabetes, obesidade, síndrome metabólica, etc) pode levar o fígado a ficar doente, levando à chamada doença hepática gordurosa não alcoólica -dHGnA.
Nessa doença, a maior parte das pessoas tem uma alteração estável no fígado que pode regredir desde que o problema metabólico seja sanado ou controlado. Até 30% deles, no entanto podem apresentar evolução do quadro para uma doença
chamada esteatoepatite (esteato = gordura; hepatite = inflamação do fígado).
Essa doença pode progredir lentamente e, ao longo de vários anos, levar à cirrose hepática e, menos frequentemente, ao câncer de fígado.